blogs amigos

Balaio de Siri

Um balaio onde tudo cabe: comentários sobre livros, filmes,discos,coisas do cotidiano...O nome - Balaio de Siri - é em homenagem a Dona Lina,antiga moradora da Lagoa da Conceição,em Florianópolis,que gostava de pegar siri nas águas da lagoa.



Quinta-feira, Novembro 20, 2008

HENRI MATISSE

foto: Cartier-Bresson

Esta maravilhosa foto é do Cartier-Bresson que fotografou o genial Matisse em sua casa, em 1944.

postado por: elaineborges 12:49 PM


A VIDA E O OLHAR

Eu não tenho imaginação, o que me fascina é a vida, que tento compreender.

Henri Cartier-Bresson - um dos mais geniais fotógrafos do mundo, que mais soube captar a vida no seu cotidiano.

E que também disse: É preciso estar disponível. É preciso olhar. Há muito poucos que olham.

postado por: elaineborges 12:24 PM


O TEMPO

foto: elaine borges

Ou a bela Lagoa da Conceição está assim...


foto: elaine borges

...ou, na maioria das vezes, assim...

E hoje, o que não é novidade, chove um monte cá na bela Ilha.
Por isso, é muito difícil deixar de falar no mesmo assunto: o tempo, a chuva, os temporasis, ventos...E dizer que estamos na primavera!

postado por: elaineborges 12:14 PM


Quinta-feira, Novembro 13, 2008


Foto: elaine borges

ARCO IRIS

Resistir, quem há? Impossível deixar de registrar e compartilhar com quem ainda abre esse blog (desculpem pela longa ausência, não há explicação) este belo arco íris que apareceu agorinha no céu da Ilha, bem do lado leste da minha janela. Foi um breve momento entre tantos dias que só chove por aqui.

postado por: elaineborges 6:16 PM


Sábado, Outubro 04, 2008


Foto: elaine borges

QUE CAOS!

Ver Mona Lisa no Louvre? Impossível. A multidão que se acotovela para ver a bela obra do Da Vinci quer tudo, menos ver, de fato, uma obra-prima. Como li e constatei "une nouvelle vitrine isole totalement la Monna Lisa de la climatisation extérieure" mas o problema é tentar ver, em todo seu esplendor e mistério, esta belíssima pintura. Quem lá se amontoa quer mesmo é tirar uma foto para depois mostrar aos amigos, tendo ao fundo aquele sorriso dúbio e misterioso. É terrível perceber que lá está a Monna Lisa e vê-la com calma é impossível.

postado por: elaineborges 10:43 AM



BEM-VINDA

Foto: elaine borges

A bela gatinha não se conteve, se rolava no tapete de tão feliz ficou ao me rever.

...e depois foi me atualizar, mostrando as últimas que vê no Jornal Nacional.


Foto: elaine borges

postado por: elaineborges 10:20 AM


Sábado, Setembro 13, 2008


Foto: elaine borges

BOA VIAGEM

Não sei se a Baby estava me desejando boa viagem ou impedindo que eu arrumasse a mala...

postado por: elaineborges 11:18 PM


Sexta-feira, Setembro 12, 2008


Foto: elaine borges

FOG LONDRINO

Um fog lembrando Londres tomou conta da Ilha de Santa Catarina por volta do meio dia de hoje. Da minha janela vi essa estranha imagem do morro entre as nuvens pairando acima dos prédios.
A previsão é de que o tempo permanecerá chuvoso até sábado.

postado por: elaineborges 12:33 PM


Segunda-feira, Setembro 08, 2008

CURTINDO O SOL

Foto: elaine borges

TRANQUILIDADE

Não há nada mais doce do que a sua tranquilidade quando repousa...não há nada mais ativo que a sua vida quando se move.

Christopher Smart - do livro Gatos

postado por: elaineborges 10:29 AM


Domingo, Setembro 07, 2008

SALVE-SE QUEM PUDER

As faixas de pedestre apenas trazem um zebrado ao asfalto. Nada mais. Tente atravessar na faixa numa esquina sem semáforo. E se houver semáforo, não arrisque atravessar do lado oposto ao que estão parados os carros por força do farol vermelho. Os automóveis que vêm da transversal entram à direita sem pestanejar e, se você pensa que vale algo estar na faixa, prepare-se para correr ou para dar um pulo para trás.

O texto acima é parte de um artigo do jurista Miguel Reali Júnior, publicado no Estadão de ontem. O que ele comenta - com o título Incivilidade - nada difere do que ocorre em Florianópolis. Tente, por exemplo, atravessar a Othon Gama D'Eça, lá próximo ao Pronto Socorro. Mesmo atravessando nas faixas dos pedestres você está sujeito a ser atropelado (a). Se um motorista pára, aquele motorista que vem ao lado passa sem obedecer a faixa. Cabe a nós, indefesos transeuntes, correr num salve-se quem puder.
Não há mais civilidade, como diz o jurista. As pessoas não mais se cumprimentam, a gentileza pediu férias e não mais voltou. Vejo cenas tristes nas ruas: velhos senhores e senhoras caminhando bem longe de sua família, sempre atrás, sozinhos, esquecidos. Vejos-os solitários nas mesas dos restaurantes, ignorados pelos filhos e netos. Vejo pessoas falando no celular nas salas dos cinemas. Vejo pessoas indelicadas, que não dão nem um “bom dia” ao seu vizinho.Vejo incontáveis agressões no trânsito. O trânsito está caótico, bem sei, mas, não custa ter um pouquinho de paciência.
Se até as crianças inventaram uma “brincadeira” que consiste em dar tapas na cabeça dos colegas, filmar com seus celulares (hoje em dia todos tem um), colocar no Orkut para rir da pobre vítima que me pergunto: e o respeito ao próximo, o companheirismo? A violência é tão grande que uma criança morreu, no Rio, em consequência da “brincadeira” dos colegas.
Os exemplos são tantos de incivilidade, de ausência de solidariedade e de respeito que, muitas vezes, dá um desânimo danado. Por favor, onde está a luz do fim do túnel? Ou meus olhos estão precisando de lentes mais potentes ou essa luz está muita fraquinha.

postado por: elaineborges 1:36 AM


LAGOA DA CONCEIÇÃO

Foto: elaine borges

FIM DO INVERNO

Lagoa da Conceição, sábado, e o inverno vai se despedindo. Ventos soprando do sudeste, deixando a temperatura baixa (oba, como gosto!) e com a previsão de que hoje o frio permanecerá. Aproveito, então, pra curtir os últimos dias de um inverno tão irregular. Florianópolis chegou a marcar 30 graus uma tarde dessas. Pode?

postado por: elaineborges 12:06 AM


Terça-feira, Setembro 02, 2008

OS "GRAMPOS" E A IMPRENSA

Quebro o silêncio de alguns dias para abordar um assunto que toma conta da imprensa em geral:a questão das conversas grampeadas entre o ministro Gilmar Mendes e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) publicadas pela Veja. E surge a pergunta: É conveniente a mídia divulgar conversas obtidas de forma criminosa? Pode a imprensa usar de meios escusos para divulgar fatos que julgam importantes?
O Noblat no seu blog aborda esse tema e transcreve um capítulo do seu livro “A arte de fazer um jornal diário” (Editora Contexto).
Transcrevo o texto do Noblat – tomando a liberdade de “plagiar” o título do seu comentário - porque também acho deve ser motivo de reflexão:

JORNALISTA NÃO É DEUS

"O Correio Braziliense deixou de publicar algumas reportagens que produziriam grande impacto entre os leitores desde que adotou seu Código de Ética.
Quer dizer que o código impede em determinadas circunstâncias que se publique reportagens capazes de repercutir intensamente? E de vender jornal?
A resposta é sim. E a razão muito simples: em alguns casos, o repórter só obtém informações se deixar de lado o comportamento ético ditado por códigos profissionais ou por sua própria consciência. A ética deve prevalecer até mesmo sobre a obrigação que tem o jornal de revelar o que possa interessar ao leitor.
Um dos artigos do código do Correio, por exemplo, proíbe que o jornalista publique informações obtidas por meios considerados fraudulentos. Um desses meios é ter acesso a informações fazendo-se passar por outra pessoa. Ou negando que seja jornalista. É uma prática corriqueira na imprensa brasileira. E em grande parte da imprensa mundial.
A pretexto de que o interesse do público está acima de tudo e de que a imprensa existe para informá-lo, jornalistas roubam documentos, se apresentam sob falsa identidade e gravam conversas às escondidas. Jornalistas que agem assim se consideram acima das leis.
Em agosto de 1998, a repórter de uma revista de circulação nacional testemunhou a confissão de vários crimes feita por um suspeito diante dos advogados dele. Confissão protegida, pois, pelo sigilo que resguarda as informações dadas por uma pessoa a seus advogados.
O suspeito não sabia que entre os advogados havia uma jornalista. Até aquele momento ele negara à polícia a autoria dos crimes.
Pressionado depois pelos policiais e informado de que a confissão ouvida pelos advogados se tornaria pública dentro de algumas horas, o suspeito finalmente confirmou tudo.
Num caso como esse, justifica-se o procedimento usado pela jornalista? Foi legítimo? Foi ético? Valeu a pena o ardil? Qualquer ardil vale a pena?
A televisão costuma apelar para o uso de gravadores e câmeras escondidos que registram diálogos entre bandidos e jornalistas, esses quase sempre fingindo interesse em comprar alguma coisa dos primeiros. Se o telespectador não reconhecer o jornalista e sair da sala antes que fique claro quem é quem, poderá imaginar que assistiu a um diálogo entre dois bandidos.
Costumamos dizer que enquanto médico pensa que é Deus, jornalista tem certeza.
Jornalista não é Deus. Não está dispensado de respeitar a Constituição e as demais leis do país. Não tem mandato conferido por ninguém para atuar ao arrepio de códigos e normas socialmente aceitas.
A denuncia de um ato criminoso não justifica uma prática criminosa."

postado por: elaineborges 11:14 PM


Sábado, Agosto 16, 2008

PAINEIRA (?)

Foto: elaine borges

PAINEIRA

Não resisti em mostrar esse pé de uma pequena e bonita árvore.Quando ainda fechadas, as flores parecem figos. Na identificação, dizia ser uma Paineira.

postado por: elaineborges 9:41 PM



Foto: elaine borges

O BUDA NAGÔ

"Dorival é um Buda nagô/ Filho da casa real da inspiração/ Como príncipe principiou/ A nova idade de ouro da canção".

Foi assim que Gilberto Gil homenageou Dorival Caymmi, o grande compositor e cantor baiano que morreu hoje às seis horas, no Rio de janeiro, onde morava.
Ouvindo agora O Mar reforço a impressão que tenho ao ouvir suas músicas: aparentemente é tudo muito simples, mas sabe-se que Caymmi levava muito tempo, até anos, para concluir que a música estava pronta. Caymmi, voz única, possante, bela, evocava as forças da natureza como poucos. O Vento, por exemplo, outra de suas tantas músicas, é belíssima. Suas canções praieiras são lindas, evocam toda a beleza da natureza que o rodeava.


E não esquecendo nunca que ele é pai de uma das maiores cantoras do Brasil, Nana Caymmi, e ainda dos excelentes músicos e também cantores Dori e Danilo. Há um CD que os três filhos gravaram em homenagem aos 90 anos do pai que é muito bonito (é o que escuto no momento).
Com sua morte, perdemos um dos maiores artistas do Brasil. Compositor que cantava o mar como poucos, com seus jangadeiros do nordeste, iemanjá, o vento, a praia... São dele músicas como "O que é que a baina tem?", "Saudade da Bahia", "Rosa Morena", "Maracangalha", "O samba da minha terra", a doce "Acalanto" e tantas outras que fazem parte da memória musical brasileira.

Era o nosso "Buda Nagô", como disse Gilberto Gil no disco Parabolicamará.

O MAR

Dorival Caymmi


O mar quando quebra na praia
É bonito, é bonito
O mar... pescador quando sai
Nunca sabe se volta, nem sabe se fica
Quanta gente perdeu seus maridos seus filhos
Nas ondas do mar

O mar quando quebra na praia
É bonito, é bonito

Pedro vivia da pesca
Saia no barco
Seis horas da tarde

Só vinha na hora do sol raiá
Todos gostavam de Pedro
E mais do que todas
Rosinha de Chica
A mais bonitinha
E mais bem feitinha

De todas as mocinha lá do arraiá

Pedro saiu no seu barco
Seis horas da tarde
Passou toda a noite

Não veio na hora do sol raiá
Deram com o corpo de Pedro
Jogado na praia
Roído de peixe
Sem barco sem nada

Num canto bem longe lá do arraiá

Pobre Rosinha de Chica
Que era bonita
Agora parece
Que endoideceu
Vive na beira da praia
Olhando pras ondas
Andando rondando
Dizendo baixinho
Morreu, morreu, morreu, oh...

O mar quando quebra na praia
É bonito, é bonito

O mar... pescador quando sai
Nunca sabe se volta, nem sabe se fica
Quanta gente perdeu seus maridos seus filhos
Nas ondas do mar

O mar quando quebra na praia
É bonito, é bonito.

postado por: elaineborges 5:41 PM


Terça-feira, Agosto 12, 2008

FLORIANÓPOLIS...

...CHUVA E VENTO

...E CÉU AZUL
Fotos: elaine borges

A CIDADE E A CHUVA

As janelas do meu apartamento balançaram muito hoje, no meio da tarde, com a chegada de uma massa de ar frio e ventos que chegaram a 75 km por hora em alguns bairros de Florianópolis. Na Lagoa da Conceição as rajadas de vento foram fortíssimas e em algumas regiões houve chuva de granizo. No final do dia veio a calmaria e um azul violeta enfeitava o céu sobre a ponte Hercílio Luz, no centro da Ilha. No interior de Santa Catarina as temperaturas caíram rapidamente, em média 10 graus – de 23 para 12 graus, segundo dados dos meteorologistas.

postado por: elaineborges 7:41 PM



arquivo